Ler introdução completa

Mas eu sou como uma oliveira que floresce na casa de Deus; confio no amor de
Deus para todo o sempre. Salmo 52:8

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

A lição do tic-tac


Porque Deus amou o mundo tanto, que deu o seu único Filho, para que todo aquele que nele crer não morra, mas tenha a vida eterna. João 3:16
Vitória recém-nascida

Porque sou eu que conheço os planos que tenho para vocês, diz o Senhor, planos de fazê-los prosperar e não de lhes causar dano, planos de dar-lhes esperança e um futuro. Então vocês clamarão a mim, virão orar a mim, e eu os ouvirei. Vocês me procurarão e me acharão quando me procurarem de todo o coração. Jeremias 29:11-13

Depois que a Vitória nasceu, o tic-tac de um relógio nunca mais passou despercebido aos meus ouvidos. Antes eu não dava muita bola para aquele ponteiro discreto que marcha suavemente ao redor do relógio anunciando os segundos. Às vezes nem percebia aquele tic-tac que nos avisa baixinho que um segundo passou, e outro, e mais outro. Que o tempo está passando.

Um dia antes de a Vitória nascer, eu havia dito à minha obstetra que gostaria de vê-la assim que nascesse, independente de qualquer circunstância. Eu estava tranquila e, não sei explicar como, eu estava feliz. Durante os seis meses que se passaram desde que descobrimos o seu diagnóstico de acrania, “incompatível com a vida”, nós oramos e clamamos a Deus a cada dia por ela. Nós choramos, jejuamos e nos prostramos diante de Deus dizendo que a amávamos e acreditávamos que Ele a podia salvar. E que não iríamos nos conformar com o que a medicina dizia a seu respeito. Chegada a véspera do parto, eu estava em paz. Sabia que havíamos feito tudo o que estava ao nosso alcance: Oramos, amamos e protegemos aquele bebê enquanto estava em minha barriga. E esperamos em Deus. Agora Ele faria o melhor.

As horas se passaram rapidamente e quando percebi já estávamos na sala de preparação aguardando a enfermeira que me levaria para a sala de parto, onde a Vitória nasceria por meio de uma cesárea. Neste momento meu coração começou a se angustiar. Durante a gestação, apesar de termos orado incessantemente por um milagre, os exames não deixavam dúvidas sobre a malformação. Além da acrania, nossa filha também apresentava crescimento restrito e os pezinhos tortos, como consequência da malformação cerebral. Jesus nos ensinou para perseverarmos em oração e, por isso, oramos mais uma vez pedindo que Deus curasse nossa filha. No momento do parto, após levar a anestesia, senti um imenso desconforto ao perceber meu corpo perder a sensibilidade. As pernas formigaram até não senti-las mais. Parecia que não tinha mais corpo. Me sentia reduzida a uma cabeça com ombros. Uma sensação muito desagradável. Tudo o que eu via era o teto iluminado, um grosso pano azul escuro à minha frente e o anestesista, que volta e meia aparecia. Assim que o Marcelo chegou, fiquei mais calma. Ele me encorajava e sorria para mim. Falava-me de Deus, do seu amor e alegria por nós estarmos ali dando vida a nossa filha. Eu só conseguia tremer e bater os dentes. Sentia que estavam preparando minha barriga para o corte e ficava mais angustiada. Era como se minha barriga estivesse muito, muito longe de mim. E parecia que a Vitória também estava se afastando: era o momento da nossa separação, depois de longos e maravilhosos nove meses juntas.

Sentia frio. Tentava sem sucesso travar os maxilares para parar de bater os dentes. Toda a equipe estava em silêncio, diziam somente o necessário em voz baixa. Sentia-me muito desconfortável em meu próprio corpo. Gostaria de não estar ali, de não precisar passar por aquela cirurgia tão desagradável. Mas precisava passar por tudo aquilo pela nossa filha. Para dar-lhe a oportunidade de nascer. Por amor e por respeito a sua vida.

De repente, senti minha barriga mais leve. E então, ouvi um choro ecoando pela sala: ué, ué ué.... Nunca vou esquecer aquela vozinha doce e meio engasgada gritando alto e dizendo a todos: eu existo! O relógio marcava 7h41min da manhã. Uma das médicas disse: Que Deus te acompanhe. O chorinho foi ficando cada vez mais distante. Tive medo e pensei: O que aconteceu? Por que não vieram mostrá-la a mim conforme havia pedido? Será que ela morreu? Eu havia dito que queria vê-la de qualquer jeito, mesmo sem vida. Passados alguns minutos, o pediatra veio nos dizer que ela havia sido levada direto para a UTI. Olhou diretamente em meus olhos e com muito pesar nos disse que sua malformação era muito grave. Ele estava querendo dizer que ela ia morrer. Perguntou se desejávamos que ele a trouxesse para a vermos. Eu estava tão nervosa e exausta que não me senti em condições de conhecê-la naquele momento. E em meu coração pensei que talvez para ela fosse melhor ficar na UTI, e eu ir até lá vê-la, e não o contrário.

Minha médica, Dra. Ana Cristina, que havia respeitado nossa decisão e nos apoiado durante toda a gestação, veio me dizer que eu seria levada para a recuperação e ela voltaria para me ver no dia seguinte. E disse-me que, confirmando os exames pré-natais, ela havia nascido sem a calota craniana. “Normalmente nestes casos o que ocorre é infecção. Sei que você ouviu a respeito de algumas crianças que viveram meses ou anos, mas no caso dela acho que infelizmente isso não vai ser possível”.

Em seguida, uma enfermeira veio falar conosco. Disse que a nossa filha nascera com vida, pesando 1.785 kg e 38 cm e havia sido levada para a UTI, como já era esperado. Havia um toque de carinho e respeito em sua voz. Perguntou-nos como ela se chamaria. O Marcelo respondeu: Vitória. Ela anotou cuidadosamente num papel. Com acento? Sim, com acento e sem c.

O anestesista disse que me daria uma medicação para diminuir o tremor. Perguntou se eu desejava dormir. Disse-lhe que não. Apesar de sentir uma grande tristeza no meu coração, queria viver aquele momento em toda a sua intensidade. O Marcelo decidiu ficar comigo até o final da cirurgia, mas assim que fui levada para a recuperação, ele foi ver a Vitória. Pedi que dissesse a ela que logo eu iria conhecê-la também. Fui levada na maca, lembro de me colocarem dentro de um elevador, e depois finalmente eu estava sozinha. Triste, mas em paz. Chorava em silêncio. As lágrimas escorriam lentamente dos cantos dos olhos fechados. Deus manifestou sua vontade e permitiu que a Vitória nascesse com uma malformação gravíssima. Mas nós não deixamos de confiar nEle e de amar nossa filha de todo o coração. E fomos imensamente felizes com ela durante nove meses. Não ficamos somente chorando e nos lamentando. Proporcionamos a ela momentos de alegria e vida.  Senti que tínhamos cumprido a nossa missão e me sentia aliviada. Só havia uma coisa que me deixava apreensiva. Será que conseguiria ver minha filha com vida?

Sentia muito sono. Tentava dormir, mas sentia as lágrimas escorrendo lentamente pelo meu rosto. Cochilava levemente e acordava com as vozes das enfermeiras falando. Até que me acordaram dizendo que seria levada para o quarto.

- Vamos colocá-la na cama. Você vai sentir a sensação de que vai cair, mas você não vai cair.
Foi o que uma das técnicas de enfermagem me disse antes de me virar de lado na maca e, junto com outra colega, me arrastarem por meio de um lençol para a cama do quarto. Após uma manobra rápida, eu estava na cama do meu quarto, rodeada pela família e alguns amigos próximos. Sentia-me exausta.

Apesar de já conseguir mexer as pernas, a enfermeira do andar explicou que teria que tomar banho por volta das 15h30 e então, lá pelas 16h, me levariam numa cadeira de rodas até a UTI Neonatal. Durante esse tempo, o Marcelo foi vê-la muitas vezes. Ele voltava e dizia que ela era linda. Pedi-lhe que levasse a câmera e tirasse fotos. Em meu coração, tinha medo de não conseguir vê-la com vida. Sabia que algumas crianças com este problema nem mesmo nasciam vivas. Outras viviam poucos minutos ou poucas horas. E as horas foram passando.

Cada vez que o Marcelo entrava no meu quarto, eu sentia um frio na barriga e tentava identificar em seu rosto se ele trazia boas notícias. Logo ele sorria e dizia que a Vitória estava bem. Foram momentos de uma tristeza doída, mas o tempo todo eu me sentia confortada por Deus. Algumas pessoas vieram para me visitar. Eu estava meio sonolenta e muito emotiva. Tentava explicar com lágrimas nos olhos que estava tudo bem. A Vitória logo estaria com Deus e sabíamos que Ele nos sustentaria em todos os momentos.

É incrível mas por volta do mei-dia eu já sentia fome. Estava em jejum desde a noite anterior. Chegou o almoço. Uma sopinha de batata com couve. Ainda acostumada com o apetite voraz de grávida, esperava uma refeição mais completa. Chegou a hora do banho. Sentia muita dor. Quase não conseguia me manter de pé. Minha mãe e uma enfermeira me ajudaram. Para me vestir, uma dor insuportável. Minha irmã veio ajudar. Como é que tem gente que escolhe parto cesárea para não sentir dor? Apesar da fragilidade e da tristeza, por dentro eu me sentia forte e serena. Não havia desespero, nem revolta, nem angústia. Havia aceitação e paz. Alegria por confiar em Deus. Sabia que nossa atitude de glorificá-lo naquele momento ajudaria muitas outras pessoas que passam por situações de sofrimento. Sabia que Deus  não nos desampararia, que teríamos mais filhos, a vida ia continuar. Mas mesmo assim, sofria por não ter minha filha saudável e perfeita perto de mim, e saber que a qualquer momento ela poderia morrer.

Finalmente chegou o momento de vê-la. Uma técnica de enfermagem veio ajudar. Ainda usava sonda para urinar. Tinha acesso venoso e um monte medicamentos dependurados num suporte. Ela colocou a bolsa que coletava a urina dentro de uma sacola. Tiraram tudo que foi possível e lá fomos nós, quase que em procissão, para a UTI, rodeados de familiares. Sentaram-me na cadeira de rodas e percorremos um longo caminho até o elevador do 5º andar, onde estávamos. Descemos no segundo andar e fomos até a UTI. Nossa família nos acompanhou até a entrada. Dali em diante, seguiríamos sozinhos até o quarto da Vitória.


Colocamos aventais e lavamos as mãos. O Marcelo foi empurrando a cadeira, enquanto eu esfregava as mãos molhadas de álcool gel. Sentia o cheiro forte do álcool nas minhas mãos geladas e uma grande apreensão no coração. Como vai ser conhecê-la? Tinha medo. Percorremos um longo corredor, e de repente, lá estava ela, deitada dentro da incubadora. Era branquinha e roliça, e dormia tranquilamente. Sua cabeça estava coberta por gazes e por um lençol dobrado. Suas mãos eram lindas, com dedos compridos e finos. Um pezinho era perfeito e outro bem tortinho.


Podia ver sua deformação. Os olhinhos eram mais salientes e acima deles não havia mais pele, e sim uma reentrância escura, e depois estava tudo coberto pelo curativo, de forma que não conseguia ver mais nada. Passamos mais álcool gel e o Marcelo abriu a portinhola da incubadora. Estendi o braço e toquei sua mão. Sua pele era macia e estava quente. Falei com a voz trêmula e emocionada: “Oi meu amor, é a mamãe". Pausa para respirar fundo. "Que bom que você me esperou. Eu te amo muito”. Fiquei acariciando sua mão em silêncio por algum tempo e então lhe disse: “Que Deus te abençoe, minha filha. Você é muito especial. Nós te amamos”. O Marcelo tirou algumas fotos e gravou um vídeo, e depois também colocou a mão do outro lado da incubadora. Ficamos acariciando seu corpinho em silêncio. Tudo que eu ouvia era o barulho de um grande relógio que havia na parede. Tic-tac. Tic-tac. Tic-tac. Enquanto aquele ponteiro andava lentamente, eu conhecia minha filha com vida. Como se fosse um cronômetro. Como se fosse um resumo da nossa frágil existência. Ouvindo cada segundo passar, pensei: Meu Deus, por quanto tempo esse relógio ainda vai bater? Por quanto tempo ela ainda vai viver? Aquele tic-tac do relógio me lembrava que algo muito importante estava acontecendo: estávamos vivos.

Fiquei feliz e em paz ao ver que ela estava sendo tratada com dignidade. Deitada em uma incubadora quentinha, em lençóis limpos, recebendo alimento. Sua vida estava sendo respeitada. Nos estávamos ali com ela. Ela não estava sozinha. Agradeci tanto a Deus por nos proporcionar tudo aquilo.

“Me perdoe por não ter vindo antes. Eu passei por uma cirurgia para você nascer e estou me recuperando. Ainda sinto dor e não consigo andar direito. Mas logo vou melhorar e vou poder ficar mais tempo com você”. Tiramos fotos. Acho que ficamos lá por uns quarenta minutos. Comecei a me sentir fraca, meio tonta. Nos despedimos dela, com a promessa de que voltaríamos à noite, e saímos. Senti muita dor para me levantar da cadeira de rodas. Não lembro de ter ouvido amigas que fizeram cesárea dizerem que sentiram tanta dor. Talvez a alegria por ter nascido seu filho as tenha feito esquecer a dor. No meu caso, eu estava feliz e ao mesmo tempo triste. Não sei se doíam mais os pontos ou o coração.

Finalmente deitei e dormi por umas três horas. Depois de jantar, fomos vê-la novamente. Dessa vez fui andando, me apoiando no Marcelo. Percorremos lentamente o longo corredor da UTI. Quando chegamos, ela estava se mexendo na incubadora. Parecia agitada. O lençol que cobria sua cabeça havia caído. Lembro de ter visto que o lençol estava sujo de sangue. A enfermeira sugeriu que esperássemos na ante-sala. Fiquei espiando de longe enquanto ela preparava os materiais para refazer o curativo - parecia um pouco tensa. Disse-nos que haviam tentado dar leite por via oral (isto é, por mamadeira), mas ela se estressara muito. Enquanto faziam o curativo, ela abria e fechava a boca de olhinhos fechados, como se chorasse em silêncio. Era muito triste ver sua condição, com a cabeça aberta, tão frágil. Realmente não é possível viver com este problema. Neste momento me questionei se não havia sido teimosa demais pedindo a Deus que ela vivesse. Cheguei a me questionar se o melhor mesmo era ter continuado o gestação e permitido que ela nascesse com vida. Não seria muito sofrimento para ela? Não deveria ter aceitado desde o início sua condição irreversível e deixado o curso da vida seguir naturalmente, me preparando para a sua morte?

No dia seguinte, quando estava com ela, disse-lhe que estava livre para ir para Deus. Que eu a amava e um dia a encontraria no céu. Disse-lhe que não tivesse medo porque Jesus sempre estaria com ela. Que Deus a amava muitíssimo. Senti-me triste por não poder pegá-la no colo, vesti-la, amamentá-la e levá-la para casa. Como eu a amava. Como sonhara com sua vida. Como desejara que ela vivesse. Mas talvez isso não fosse o melhor para ela, naquela condição. Orei a Deus e disse que, se quisesse, podia levá-la. Nunca havia orado isso durante a gestação. Não lhe pediria que fizesse isso, mas não ia mais ficar insistindo e teimando para que ela vivesse. Orei para que fosse feita a sua perfeita vontade. Lembrei Jesus no Getsêmani dizendo: seja feita a tua vontade e não a minha. Como deve ter sido difícil para ele fazer aquela oração. Como era difícil para mim.

Abri a incubadora e peguei sua mãozinha. Comecei a lhe contar tudo que acontecera desde o início:
Sabe, meu amor, quando eu descobri que estava grávida, fiquei muito feliz porque você já existia. Quando eu te vi no primeiro ultrassom, tão pequenininha e já com um coração batendo tão forte, meu coração ficou maravilhado. Eu sonhei tanto com você. Como eu fiquei feliz! Mas eu corria o risco de te perder. Pedi tanto a Deus por você, porque eu já te amava muito. Depois, descobrimos que você tinha um problema grave e podia morrer. Ficamos muito, muito tristes. Pedimos a Deus por você, para que Ele te curasse, para que você pudesse viver. Foi uma alegria carregar você na minha barriga. Foi um privilégio ser sua mãe. Eu nunca vou me esquecer de você. De cada chutinho que você me deu. De todos os momentos que vivemos juntas. Deus permitiu que você nascesse assim. Ele sabe de coisas que nós não sabemos. Mas logo você  irá para o céu e lá vai receber um corpo perfeito. Jesus morreu na cruz para nos perdoar e nos dar uma nova vida. Jesus morreu por você e por mim. Eu queria tanto que você ficasse conosco. Preparei tudo para você chegar. Talvez você não use as roupinhas que eu lavei e passei para você. Mas você vai chegar no céu e vai usar roupas muito mais lindas. Roupas que não se estragam, nem se rasgam. Que nunca saem de moda. Você não vai tomar o leite que meu corpo está produzindo. Mas no céu haverá um lindo banquete preparado para você. Quando você chegar no céu haverá uma grande festa para te receber. Talvez eu não consiga te pegar no colo. Mas eu pedi que, assim que você chegar lá, Deus pegue você no colo por mim.

Enquanto eu falava tudo isso, senti meu rosto todo molhado. As lágrimas fluiam livremente dos meus olhos sem que eu percebesse. Chorava com a mesma naturalidade com que respirava. Mas eu não me sentia triste. Me sentia absolutamente em paz. Leve. Como foi bom para mim dizer tudo aquilo para minha filha. Todo o medo que havia de conhecê-la, de ela nascer com um problema tão grave, tudo estava curado. Eu me sentia completa. E à medida que eu dizia aquelas palavras para ela, me dava conta de quão precioso foi o sacrifício de Jesus na cruz. Ele não tinha somente morrido por mim, para me dar uma nova vida. Ele tinha morrido para dar uma nova vida e um novo corpo para minha filha. E isso era muito mais precioso do que a minha própria vida. Percebi quanto amava Jesus por isso. Muito obrigada, Jesus. Muito obrigada.

De repente, olhei para o lado e vi a técnica de enfermagem com os olhos vermelhos. Ela olhava para baixo e parecia tentar disfarçar que estava emocionada.

No quarto da maternidade, muitos amigos vieram nos visitar e havia um agradável clima de descontração. Ganhei flores. Todos eram muito amorosos. Graças a Deus, a antiga empresa em que o Marcelo trabalhava manteve o convênio médico para que eu pudesse fazer o parto em um bom hospital. O quarto era muito confortável e aconchegante. A comida era deliciosa e adaptada às minhas preferências. Lembro-me de estar almoçando e olhando as lembrancinhas que fizemos para dar aos que nos visitassem. Havia dois versículos bíblicos, seu nome e a data do seu nascimento:

O que é nascido de Deus vence o mundo, e esta é a Vitória que vence o mundo: a nossa fé. I João 5:4

Desde que nasci fui entregue a ti, desde o ventre materno és o meu Deus. Salmo 22:10

Vitória de Cristo Schmitz Croxato
13 de janeiro de 2010

Muito obrigada pelo carinho!

Enquanto eu comia, lia os versículos das lembrancinhas e chorava. Pequenas lágrimas escorriam dos meus olhos e eu secava com o guardanapo mesmo. Me sentia triste e ao mesmo tempo confortada por aquelas palavras. Me orgulhava por nossa filha. Vitória de Cristo. A vitória que vence o mundo. Me orgulhava da história que estávamos vivendo. Apesar de algo tão triste e inesperado, estávamos conseguindo enxergar tanta beleza naquilo tudo. Graças a Jesus. A Vitória já havia marcado as nossas vidas e a vida de muitas pessoas. Estávamos conhecendo mais a Deus e nos tornando mais fortes. A vida nunca mais seria a mesma.

Naquela noite, tive um sonho. Sonhei que eu subia uma montanha escura, por um caminho muito difícil e tortuoso, cheio de perigos. Eu me embrenhava em meio a arbustos, pulava obstáculos e corria, como se fugisse de algum perigo. De repente, cheguei ao topo do monte e havia uma festa com muitas luzes, comida e pessoas festejando com muita alegria. Mas lá embaixo havia escuridão e perigos. Acordei meio assustada e imediatamente pensei na Vitória. Peguei meu celular e olhei a hora. Era mais ou menos quatro e meia da manhã. Pensei angustiada: será que minha filha está viva? Ela estava bem quando saímos, mas será que ainda está bem? Agradeci muito a Deus por ter permitido que ela vivesse e que a conhecêssemos. Então comecei a chorar, não mais suaves e discretas lágrimas, mas uma enxurrada de lágrimas e soluços doídos . O Marcelo dormia no sofá ao lado. Era somente eu e Deus dividindo aquele choro. Enquanto as lágrimas vinham, pedi a Deus que permitisse que a Vitória continuasse viva, que assim que o dia amanhecesse eu pudesse ir até a UTI e encontrá-la viva. Como Deus era sábio. Como Deus era bom. Como sua vontade era perfeita. Estava sendo tão bom a Vitória viver estes dias conosco para que a conhecêssemos. Eu precisava daquilo. Senti vontade de me levantar e ir vê-la. Mas no dia seguinte o Marcelo tinha uma entrevista de emprego logo cedo (ele estava desempregado desde o quarto mês da minha gravidez). Não seria sábio acordá-lo às quatro e meia da manhã. Também não seria prudente eu ir sozinha, podia me sentir mal e não ter ninguém perto para ajudar. O melhor era esperar e ir de manhã, assim que minha mãe chegasse.
De manhã minha mãe veio e foi comigo até a UTI, mas ficou esperando do lado de fora – só era permitida a entrada dos pais para ver os bebês internados. Cheguei ao quarto da Vitória ansiosa. Era a técnica Carla que estava cuidando dela. Ela foi muito simpática, conversou comigo sorrindo. Parecia que estava tudo bem. A enfermeira Muriel estava lá também, e me perguntou se eu queria pegar a Vitória no colo. Fiquei super feliz. Ela estava muito quente dentro da incubadora, por isso a colocaram só de fralda envolta em um lençol no meu colo, e ficaram do lado de fora da sala, com a porta encostada. Havia apenas um lençol sobre as gazes do curativo cobrindo sua cabeça e eu podia ver um pouco mais das estruturas cerebrais por baixo do lençol.

Quando a peguei em meus braços, senti uma alegria e uma paz indescritíveis. Percebi que seguir em frente com a gravidez havia sido a decisão mais certa de toda minha vida. Senti que estava exatamente no lugar certo, no centro da vontade de Deus, amando minha filha. Comecei a conversar com ela. Parecia que ela me espiava, só com o olhinho direito entreaberto. Ainda não havia visto seus olhinhos abertos. Disse para ela todo o salmo 23.
Jesus é o seu pastor, e por isso nada nunca te faltará. Ele te faz descansar em águas tranquilas. Jesus está contigo. Ele te ama e te guia. Não é preciso temer. Mesmo se você andar por um vale de trevas e morte, Jesus nunca te abandonará. Ele está preparando um banquete para ti. Ele vai te honrar. Sua bondade e fidelidade nunca te abandonarão. Que Deus te abençoe, minha filha amada.

Era como se o tempo houvesse parado, e nós ficaríamos ali pra sempre, juntas e felizes. Nada mais importava - nem malformação, nem desemprego, nem casa, nem carro, nem estudo, nem futuro ou presente ou qualquer outra coisa. Nenhuma preocupação desta vida tinha mais a menor relevância. Eu me senti feliz e em paz, como nunca havia me sentido antes.

Fiquei olhando para ela, segurando sua mãozinha. E lá estava o barulho do relógio na parede: tic-tac, tic-tac, tic-tac. Graças a Deus por aqueles segundos de vida tão preciosos. Muito obrigada, Senhor, por estes momentos únicos com minha filha.

Alguns dias depois, a enfermeira veio conversar comigo e me disse que, enquanto a Vitória estava no meu colo, ela ficou observando de fora o aparelho que media os seus sinais vitais. Até então ela tinha alguns momentos perigosos de queda de frequência cardíaca e de saturação, mas depois daquele dia teve uma melhora significativa.

No dia seguinte ao parto, o Marcelo foi registrar a Vitória no cartório que fica dentro da maternidade. E na sexta-feira foi buscar a certidão de nascimento. Ele entrou no quarto sorridente e orgulhoso. Olhei a certidão e também fiquei feliz. Vitória de Cristo Schmitz Croxato. Nossa primeira filha. Dedicada a Deus.


A Vitória nasceu numa quarta-feira de manhã, e no sábado recebi alta. Pela manhã fomos vê-la e pedimos para conversar com o pediatra responsável. A Dra. Mayla apareceu. Não sabia o que lhe perguntar. Disse que estava indo para casa e gostaria de saber como a Vitória ficaria. Ela foi muito simpática e carinhosa. “O nosso trabalho aqui será deixá-la o mais confortável possível, fazendo tudo que está ao nosso alcance para que ela se sinta bem. Pois foi ela que escolheu ficar”. Perguntei se ela poderia usar alguma roupinha que havíamos trazido na sua malinha e se podíamos deixar lá o quadrinho que havia pintado como enfeite de maternidade. Ela disse que sim, que era só embalar o quadro em filme plástico, e que ela podia vestir todas as roupinhas para tirar fotos e ficar de body dentro da incubadora. A técnica de enfermagem que estava naquele horário, a Silvone, ficou super empolgada nos ajudando a vestir as roupinhas, que ficaram gigantes. Mas como nós ficamos felizes e realizados naquela manhã! Levaríamos a sua malinha de maternidade vazia para casa: ela iria usar todas as coisas que havíamos levado.

Mas como poderia deixá-la no hospital e ir para casa? Se ela sofresse, se ela sentisse dor, se ela se sentisse sozinha? Antes de sair, nos ajoelhamos no quarto a pedimos a Deus que nunca a abandonasse. Clamei com lágrimas a Ele que estivesse pessoalmente lá do lado dela. Que enviasse muitos anjos para protegê-la. E lhe fiz um pedido muito especial. Que ela pudesse ver Jesus ao seu lado, para que não se sentisse sozinha, mesmo na nossa ausência.

Passei um pouco de maquiagem no rosto: pó, blush, batom, e pus uma roupa bonita para sair - ainda eram as roupas de grávida que serviam, agora bem mais largas. Minha irmã havia vindo me ver e trouxera maquiagem e sapatos novos de presente. Queria me sentir bem e bonita. Aquele era o momento que eu mais havia temido durante a gestação: sair da maternidade de braços vazios. Mas não, não havia vazio algum. Nada de tristeza ou derrota. Saí de lá feliz. Deixar a Vitória vestida com as roupinhas que havia lavado e passado para ela havia enchido meu coração de alegria. Além disso, ela estava viva e voltaríamos mais tarde para vê-la. Conhecê-la, dizer-lhe que a amava, carregá-la em meus braços, todos aqueles momentos tão intensos haviam enchido meu coração de tanto amor e de paz.  Nós éramos vencedores junto com a nossa filha.
Minha sogra veio nos buscar, e antes de deixar o hospital tiramos algumas fotos fazendo V de Vitória. Ela não estava ali conosco fisicamente, mas estava presente nos nossos corações e no sorriso dos nossos lábios.
Emocionalmente estava bem, mas o percurso até em casa foi bem doloroso - fisicamente mesmo. A cada pequeno balanço do carro sentia muita dor nos pontos da cesárea e tentava segurar a barriga com a mão pra ver se doía menos.

A cada dia voltávamos a UTI para estar com a nossa filha. Não sabia o que aconteceria dali pra frente. Aquele percurso hospital - casa, casa - hospital seria repetido diariamente nos próximos cinco meses e se tornaria a nossa rotina. Mas naqueles primeiros dias tudo era tão novo e inesperado. Ainda sentia dor e andava devagarinho pelo corredor da UTI que nos levava até seu quarto. No dia seguinte à minha alta, uma novidade: ela havia saído da incubadora e estava em um bercinho. Podiamos ficar com ela no colo o tempo que quiséssemos. A técnica de enfermagem da noite, a Josany, me pediu para levar mais roupinhas quentes, luvas e meias, pois a sala era muito gelada. Naquela mesma semana compramos vários macacões quentinhos, os menores que achamos, pois os que havia ganho eram muito grandes para seu corpinho tão pequenino, e não eram muito quentes. Também estava começando a receber leite na mamadeira. Eu havia tomado um medicamento no dia anterior para secar o leite. Começava a sentir dor e como ela não conseguia mamar e sua perspectiva de vida era muito curta, fui aconselhada a secar o leite para evitar complicações. Mas logo, vendo-a mamar na mamadeira, fiquei muito arrependida.

A cada dia chegávamos lá e agradecíamos a Deus por ela estar viva. E lá estava o relógio na parede nos mostrando que cada segundo era muito precioso. Na semana seguinte, decidi que ia tentar tirar leite no banco de leite, apesar de haver tomado aquele remédio. Para minha surpresa o leite não havia secado em dois dias como era esperado. Havia diminuído, mas após uma semana de estímulo por bomba, já estava conseguindo mandar bastante colostro para ela.

Confesso que estranhei essa rotina de UTI nos primeiros dias. Quando tive a confirmação de que ela nascera sem a calota craniana e fora considerada anencéfala, imaginei que ela viveria por poucas horas. Depois pensei que ela viveria por poucos dias. Nunca havia me preparado para aquela longa e cansativa maratona de UTI. Havia sido preparada pelos médicos para perder um bebê. Para ver com tristeza minha filha partir, fazer seu enterro e guardar suas lembranças. E em meu coração havia pedido a Deus por um milagre de que ela fosse curada e pudesse nascer perfeita. Mas diferente de tudo que era esperado, ela estava viva e tinha uma grave malformação. Apesar de todo amor que sentia por ela, e do desejo que crescia a cada dia de que ela continuasse viva, parecia-me assustadora a ideia de cuidar dela sozinha. Sentia-me totalmente despreparada. Não sabia como fazer seu curativo na cabeça, como alimentá-la por meio da sonda, e parecia-me que o melhor para ela era continuar lá na UTI, onde estava sendo extremamente bem cuidada por excelentes profissionais. Mas a cada dia nos apegávamos mais àquela bebezinha tão pura e graciosa e aumentava em nós o desejo de estar sempre com ela. Ela era única e insubstituível. Seus olhos transbordavam doçura. Ela simplesmente vivia, inocente, frágil e tão pequenina. Não se esforçava para mostrar nada a ninguém - se era capaz ou não de qualquer coisa. Parecia se sentir segura e em paz. Sem se importar de ser considerada inferior por tantas pessoas por causa da sua deficiência. Sem se importar de tantas pessoas acharem natural que tirássemos sua vida precocemente porque não iria pra frente mesmo, ou porque eu ia correr riscos. Ela parecia saber exatamente o quanto era importante e valiosa independente de qualquer coisa que pudesse ter ou fazer. E ela estava certa: ela era muito amada por Deus e por nós.

Sua vida era radiante apesar de sua fraqueza. E a cada dia ela vivia, crescia e superava calmamente cada um dos grandes desafios que tinha diante de si. Parecia que o próprio Deus estava ali soprando o fôlego de vida em suas narinas a cada instante. Um sopro constante e suave, como o seu amor constante e incondicional por cada um de nós.

Muitas coisas aconteceram desde então, que estão relatadas aqui neste blog. A Vitória enfrentou alguns desafios e Deus lhe deu a vitória em todos. Passamos a viver momentos de alegria e até descontração com nossa filha. Mas volta e meia, quando a carregava no colo, ficava em silêncio e lá estava o mesmo relógio contando os segundos lentamente. Deus estava nos abençoando dia após dia com a vida da nossa filha. Pude carregá-la no colo, vesti-la, dar-lhe banho, amamentá-la e, no dia 21 de junho finalmente pude trazê-la para casa, onde ela está firme e forte conosco até hoje. Mas a cada vez que ouço o tic-tac do relógio, percebo que esta vida é curta demais, passageira, e que temos sido muito abençoados por estarmos vivos.

Existe um propósito para cada um de nós estarmos vivos. Ninguém pode estar vivo à toa, por acaso, por sorte. A vida é um milagre maravilhoso. Um ser humano se formar perfeitamente, nascer e viver é algo tão complexo e inexplicável, que não é possível ser fruto do acaso. Infelizmente muitos vivem a esmo achando que não têm um propósito, um sentido. Achando que não têm valor. Se soubessem que o Criador e Rei do Universo derramou seu próprio sangue para resgatá-los, se soubessem quão preciosos são! Desde que soube da malformação de minha filha comecei a pensar muito mais na vida. No sentido de tudo. Comecei a prestar muito mais atenção ao presente incalculável que é estar vivo. Comecei a prestar mais atenção ao tic-tac do relógio.

Um dia o relógio vai parar. Não só para a Vitória. Para todos nós. Não há como saber quando. Neste dia, eu quero encontrar Jesus e deixar que Ele me mostre o caminho até o Pai, como Ele prometeu a todos que o seguirem.

Espero que vocês também estejam ouvindo o tic-tac do relógio. E que esse som não seja um pesar, mas uma alegria. Pelas bênçãos que têm recebido de Deus, e por Jesus ter dado a vida para um dia poder nos levar para casa, quando o nosso relógio parar. Enquanto ele ainda está andando, há tempo de agradecer pela vida e viver o lindo propósito que Deus preparou para cada um de nós. Esse propósito certamente existe para cada ser humano criado, não importa se viva por uns poucos instantes ou por muitos e muitos dias. Eu não mais tenho dúvidas. Basta ouvir o tic-tac do relógio e olhar para o lindo sorriso da Vitória.


57 comentários:

  1. Minha flor.......
    MINHA PRINCESINHA..
    ESTAVA AGORA NO MEU TRABALHO OUVINDO ALGUMAS MUSICAS EVANGELICAS QUE TENHO NO MEU CELULAR E UMA ME TOCOU PROFUNDAMENTE E LEMBREI-ME TI COMO SEMPRE......... ACONTEÇE DESDE O DIA EM QUE TE CONHECI......
    DEUS FALA NESTA LETRA
    QUE TODA A TUA FORÇA, PERSEVERANÇA E AMOR A VIDA....
    ESTA LETRA FALA MUITO DE FORÇA, FÉ NO IMPOSSIVÉL .....
    TE OFEREÇO ESTA LETRA COM TODO O MEU CORAÇÃO...
    QUE DEUS ESTEJA AO TEU LADO TODO OS DIAS, MINUTOS, SEGUNDOS..
    XERO NO SEU CORAÇÃO!

    Sobre as águas

    Se o sol se por
    E a noite chegar
    Tu és quem me guia
    Se a tempestade me alcançar
    Tu és meu abrigo

    Se o mar me submergir
    A tua mão
    Me traz a tona pra respirar
    E me faz andar
    Sobre as águas
    Tu és o Deus da minha salvação
    És o meu dono minha paixão
    Minha canção e o meu louvor

    Aleluia, Aleluia


    " O SENHOR É MEU PASTOR E NADA TE FALTARÁ VITÓRIA"

    CLAUDIA TAVARES
    JOÃO PESSOA - PB

    ResponderExcluir
  2. Joana,
    O Senhor é minha testemunha: não sei como estaria minha vida, hoje, se não tivesse conhecido vocês e não tivesse a chance de me "alimentar" com suas palavras, "post após post", neste seu quase diário da vida de Nossa Amada VITÓRIA de Cristo (com acento e sem C).
    Muitas de minhas angústias têm sido amenizadas por seu testemunho.
    Fico muito feliz a cada novidade sobre a vida da Vitória e em paz ao terminar de ler cada nova histórinha de sua vida.
    Obrigado, ao Senhor, por ter dado a você esse dom de transformar em palavras suas próprias emoções, e a vocês por quererem dividi-las conosco.
    Talvez jamais consiga dizer o quanto vocês têm sido impostantes para nossa vida.
    Obrigado!
    Eduardo
    Vila Velha ES

    ResponderExcluir
  3. Joana, Marcelo e Vitória

    Eu só tenho 3 palavras pra vcs:
    GUERREIROS, AMADOS E UNIDOS junto a Deus!!

    A fé move montanhas e sua história é lindaaaa
    AMEIIIIII
    Q A VITORIA FAÇA MTOS E MTOS ANOS AINDA
    ....BJOCAS......

    " PARABÉNS PRA VITÓRIA,
    NESSA DATA QUERIDA
    MTAS FELICIDADES
    MTOS ANOS DE VIDA "

    VIVA VIVA VIVA...

    ATÉ MAIS

    LUCIANA

    ResponderExcluir
  4. Olá Joana, que lindo testemunho, nunca tinha pensado nisso " tic tac tic tac" mais é verdade devemos ser gratos a Deus por cada segundo de vida q ele nos permite viver,louvo muito a deus por sua vidas e pela oportunidade de conhecer vcs msm q pelo blog ñ importa... o q importa é q servimos a um Deus vivo e isso faz a diferença,afinal quem nos separará do amor de Cristo?nem a morte nem a vida nem anjos...nem o tic tac do relógio! rsrsrs pois quando ele parar lá estamos nós juntas em Cristo Jesus,obrigada por vc existir vc e sua familia, ñ consigo ver minha vida sem Jesus,e sem entrar nesse blog tds os dias,pq tds as vezes q eu entro Deus fala e trata na minha vida, as vezes me disciplinando outra me consolando e na maioria me fazendo ser feliz com a vida da Vitória, tenho um desejo muito grande de ser mãe,ainda ñ estou namorando...esperando em Deus pelo pai dos meus filhos, pq eu ainda ñ tenho filho algum dentro de mim, mais sei q seus dias já estão escritos, e me sinto na obrigação de esperar em Deus para ñ errar com eles pq eu já os amo msm ñ tendo de fato,é dificil ser jovem cristã quando tudo para coopera p/pecarmos, mais eu sei q vale a pena ser fiel, e dar o devido valor ao tic tac...enfim tenho q parar pq já to chorando de novo rsrs, mais olha desejo muito a sua amizade e conte comigo em oração tds os dias, bjus amo muito vcs em Cristo e me orgulho de dizer q é em Cristo!!!fike com Deus!!!

    ResponderExcluir
  5. Olá Joana,que testemunho lindo, é verdade eu nunca tinha pensado nisso "tic tac tic tac"devemos ser gratos a Deus por cada segundo de vida q Ele nos permite viver,e hj eu sou grata a Deus por sua vida, ñ te conheço pessoalmente mais o tic tac ñ nos separa ñ me separa da Vitória...afinal quem nos separará do amor de Cristo? a morte a vida anjos ou principados,glória a Deus nada poderá nos separa do amor de Deus q está em Jesus Cristo, e quando o yic tac parar???lá estamos nós, com nosso Paizinho q é bom e Fiel q nos da pão peixe e ñ escorpiões.já tem quase 10 anos q eu sirvo a Deus, e faz só uns03 ou 4 meses q sigo vcs, e cada vez q eu entro Deus fala comigo em todas as areas da minha vida, detalhe:as vezes Ele me disciplina rsrsr mais qual pai q ama seu filho q de vez em quando ñ de umas varadinhas rsrs só de vez enquando, pq na maioria das vezez Ele enche meu ♥ de alegria, é um privilégio conhecer vcs e crescer com vcs, é só Deus msm pra fazer com q amemos pessoas q nem conhecemos realmente o amor é dom de Deus!Eu ainda ñ tenho filhos,nem namorado ainda :(, já trabalhei varias vezes de babá, meu ministério é com crianças, e como vc já oro por eles pra sejam de Deus e os honre com suas vidas, enquanto isso fiko cuidando dos meus sobrinhos lindos e paparicando sua filha pelo blog, é uma alegria te-la...
    Hj ñ consigo e ñ quero ver minha vida sem Jesus,embora seja muito dificil dizer ñ ao mundo,mais Deus é fiel e tem me sustentado a cada proposta do inimigo,Ele me da coragem pra dizer ñ, vc tbm disse ñ ao inimigo né?naquela propósta horrível de tirar sua filha,mal sabia ele do futuro da Vitória dia após dia sendo sustentada por aquele q morreu por ela e hj vive pra lhe dar vida, parabéns Joana por escolher a vontade do Pai,quero q saiba q vcs são importantes pra mim, e q oro tds os dias por vcs, fazia um tempo q ñ orava tds os dias, mais Deus tem usado a vida de vcs como motivação pra mim... tic tac a hora ta passando, tenho q ir a casa do Pai, mais enfim amo muito vcs e me orgulho de vcs serem meus irmãos em Cristo!bjus
    franciane Carvalho.

    ResponderExcluir
  6. Estou muito emocionada com o seu relato.

    Como Deus é grande, maravilhoso. Na nossa pequenez às vezes só um milagre como a vida da sua princesa Vitória nos acorda para a grandeza do poder do nosso Pai.

    Continue escrevendo, Joana. Além de um lindo diário, tudo o que está escrito aqui tem servido de testemunho do poder de Deus. a tantos que Dele necessitam.

    ResponderExcluir
  7. Ora bolas, veja se nao estou chorando!
    Quando cheguei no seu quarto e vi voce, e soube que voce ainda nao tinha visto a Vitoria, tudo o que passei a pedir a Deus foi que permitisse que voce visse sua filha com vida. Gracas a Deus, voce nao somente viu a Vitoria com vida, mas ela continua com vida! Como Deus e' bom! Sou muito agradecida a Deus, e tambem 'a nossa mae, a mae do Marcelo, que estiveram presentes em todos os momentos. Foi muito ruim ir embora do Brasil em meio a tudo isso. Mas Deus foi bondoso e cuidou de todos voces, com muito amor, com muito carinho, e usou outras pessoas para cuidar de voces tambem.
    Feliz Aniversario, Vitoria!!!

    ResponderExcluir
  8. OLÁ...JÁ FAZ UM ANO QUE TIVE O PRAZER DE CONHECER UMA PARTE DA HISTÓRIA DA VITÓRIA...E FICO A PENSAR... UM SER TÃO PEQUENO...VENCENDO TANTOS OBSTÁCULOS...COM TANTO PRA ENSINAR...PARABÉNS...PELA SUA VITÓRIA.BJUS CLEIDE(AUX DA UTI-NEO)

    ResponderExcluir
  9. Boa Noite Joana

    A um ano atrás conheci a historia da Vitória através da minha cunhada Leticia que trabalha na Uti e cuidou da sua princesa tbm e nos contava o quanto a Vitoria era amada e especial.... e tem o mesmo nome da minha sobrinha (filha da enfermeira Leticia).... desde então já tinha me apaixonado pela pequena e vencedora Vitória de Cristo....
    Uma tarde de domingo a Leticia chegou em casa e me falou do seu blog e desde então salvei em meus favoritos e volta e meia entro e vejo e leio seus posts....
    Vi o video do banho, as fotinhos... os lacinhos no cabelinho (lindos), quando engessou o pézinho e ficava irritadinha até vcs tirarem o gesso rs..rs..
    Sempre que entro leio e me emociono, mais hj ao ler a sua declaração Meu Deus como vcs são seres abençoados por Deus....
    Reclamamos tanto da vida e ao nos deparar com uma historia de amor, esperança, luta e vida... paramos e pensamos o quanto temos que agradecer a Deus.... e tão maravilhoso é conosco....
    Meu nome é Patricia Laquale e desejo do fundo do meu coração toda felicidade, alegria, amor, saúde do mundo para vcs e em especial para a Vitoria...
    A Vitoria para mim mesmo não a conhecendo pessoalmente me traz paz, tranquilidade e um energia de enfrentar qualquer obstaculo que possa aparecer na minha vida ou como vc diz no tic tac do relógio que muitas vezes nem damos ouvidos...
    Obrigada Joana, Marcelo e Vitoria por nos deixar acompanhar através do blog a vitória de vida de vcs...
    Vcs são anjos enviados por Deus para nos mostrar que para Deus nada é impossível e que o amor é incondicional que ele é simplesmente tudo na nossa vida...
    Muito obrigada mesmo...
    Ainda não sou mãe e se Deus quiser me dara o presente de ser mãe esse ano, mais já amo minha(meu) filho(a) antes de estar no meu ventre, então eu imagino o amor imenso e maravilhoso de vcs e me emociono....
    Fiquem com Deus...
    Beijocas
    Patty Laquale
    pattylaquale@gmail.com

    ResponderExcluir
  10. Querida Joana,
    que lindo texto!
    Glória a Deus pela vida da Vitória, pelos ensinamentos profundos que Ele tem passado a vocês e que vocês têm generosamente compartilhado com tantos.
    Apesar de não estarmos próximos fisicamente, vocês estão sempre em nossas orações. E ficamos muito alegres e emocionados por ver nosso Pai respondendo e abençoando-os tanto. Ele existe, é bom e nos ama muito.
    Com amor,
    Diniz e Mirian

    ResponderExcluir
  11. Joana, que lindo texto. Muito profundo. Que seu blog continue sendo uma inspiração para todos os que lêem, enquanto o relógio fizer seu tique taque.
    Um beijo
    Ana Paula

    ResponderExcluir
  12. A Paz de Cristo Jo!

    Faz tempo que não escrevo..... Achei que não iria mais escrever, mas este post foi muito profundo.

    Realmente Deus preparou tudo de antemão, acho que até tua formação acadêmica, a forma como você escreve e consegue compartilhar sentimentos tão profundos e uma experiência tão transformadora e vitoriosa como a que você está vivendo.... Para mim, muita coisa ainda não entendo, acho que Deus está sempre nos dando tempo, é Dele que parte a iniciativa sempre, mesmo quando a fé falha, e o amor cresce, é tudo muito lindo e doloroso. O amor é o dom maior. Fique com Deus, Ju

    ResponderExcluir
  13. Olá!

    Por acaso cheguei ao seu blog. Cheia de ideias pré-concebidas, devo confessar, em uma espécie de lamentação por você, algo como "coitada, ela deveria ter abortado enquanto era tempo."

    Passei rapidamente pelos posts anteriores, sem dar muita atenção, olhando as fotos... Mais uma vez, me lamentei, quando vi como você e seu esposo eram tão bonitos e perfeitos, fisicamente.

    Pois então cheguei a este post, onde li, com lágrimas escorrendo (e com minha filha no colo, dormindo) sobre o nascimento da sua filha, as suas considerações sobre a cesárea e a dor....

    Impossível não se emocionar. Impossível não chorar, de tristeza, de alegria, de felicidade por poder ler o que você escreveu; poder absorver a lição de vida que vocês três podem passar para nós.

    É realmente tocante, eu amo quando leio ou vejo ou escuto coisas capazes de me modificar por dentro. Obrigada por me proporcionarem este momento.

    Eu sequer vi quando este post foi escrito, rs rs nem sei se ainda continuam postando aqui.

    Gostaria de deixar um grande abraço virtual, desejar que muitas coisas boas cheguem em sua vida e de sua família, eu beijo os seus pés, pois você é uma pessoa abençoada. Apesar de não crer em Deus, Jesus, que eles continuem iluminando seus caminhos.

    Obrigada por me modificar por dentro.
    Ingrid

    ResponderExcluir
  14. Aos Papais da Vitória, venho trazer meus votos de plena felicidade para vocês, muito amor no coração e saúde!!!
    Por acaso conheci o blog e lendo me deparei por tantas coincidências... chorei muito lendo cada frase que está escrita aqui que me levaram até o nascimento da minha filha, que nasceu com 33 semanas e ficou também na UTI. É incrível como nossas vidas são tocadas por Deus depois de termos filhos. Hoje é meu aniversário e o que eu peço é muitos anos de vida junto de minha princesa e peço saúde para ela, sempre. Como é maravilhoso sermos agraciados por nossos filhos! É uma bênção viver cada segundo ao lado deles, descobrir coisas novas, dividir alegrias! Quero dizer para vocês que Deus sempre sabe o que faz e que depois de ler o blog, ver as fotos, me obriguei a deixar o recado para que vcs soubessem (de mim) que estão fazendo o melhor por sua filha. Vocês a amam!!!!!!!!!! Não existe nada mais importante que isto. Então me despeço com um grande beijo no coração de vocês, um beijo carinhoso na princesa Vitória e muita saúde e felicidade!!!!!!!! FORÇA!!!!!!!!!!! Amanda Castello - taquara/rs

    ResponderExcluir
  15. valberlania silva bibi/aracaju-se24/04/2011
    joana,gostaria de comtar um pouco minha historia
    em 2006 engraviz de um bebê anecelalici com a calota craniana,minha filha tb era vitória mais minha filha foi ir mim deixou só ,ela foi mora com deus ,minha anjinhavitória hoje ela teria 5anos de vida.meu medico descobriu quando eu estava estava com dois mese mim esclarecedo tudo o quer poderia acontecer ele deu duas horas de vida,mais ela sobreviveu 8 dias esses dias foi o melhor da minha vida amo minha vitória tanto ,todo dia 10 de fevereiro que ela conpleta ano ,compro uma boneca pra ela para senti ela peto de mim,joana entrei ate em depresão,tentei ate mim matar,mim joquei do carro para estar junto dela.foi eu mesno quer arrumei o cachão dela vesti ela comouma anjinha clinda que amo tanto ,conversamos muito juntas eu dizia mamãe te amar tanto vitória não deixe mainha não ...mais meu deus sinto meu croção esplodido de tanta dor no peito ...joana quer deus ilumine vitória por muito anos ....jesus crito sempre estara em sua família...

    ResponderExcluir
  16. Oi Joana e Marcelo...Que DEUS venha abençoá-los muito, dando saúde, força. Nossa que fofura a filha de vcs...Essa sim é um presente de DEUS, não só para suas vidas, mas para a minha e sei que milhares de pessoas que acessam esse blog tbm. Deus sabe de todas as coisas, hj pode ser que não entendemos o propósito dele nas nossas vidas, mas no futuro tenho a plena convicção que vamos olhar para trás e ver a linda Vitória. Queria muito conhecê-la, mas mora distante (Brasília), e hj estou passando por um problema de saúde, na qual vejo que é permissão de DEUS e creio na minha cura e na minha vitória, com creio tb na vitória da Linda Vitória........Bjos a vcs e espero que esteje tudo bem com a princesinha....Gostaria de estar informada sobre ela, não por curiosidade e nem por dó, mas pela superação e sei que é ela é muito mais feliz que muita gente por aí...Meus e-mails são: chriss.olive@hotmail.com;chriss.penna@gmail.com Aguardo fotinhas dela....Por favor d~e um bjão bem gostoso nessa lindinha por mim....

    ResponderExcluir
  17. Deus confiou a você essa Vitória. Porque és merecedora. Que Ele continue abençoando essa família por toda a eternidade. Estou grávida de 12 semanas e me emocionei muito lendo o seu relato de amor e perseverança. Um beijo no coração cheio de amor e paz.

    ResponderExcluir
  18. História linda, de superação, de imenso amor e fé em Deus. Não tenho nem palavras para descrever..... fica aqui um forte abraço a vcs três, exemplos eminentes que Deus existe e é soberano.
    Toda a saúde a Vitoria, fica a nossa torcida que tudo vai ficar bem

    ResponderExcluir
  19. Nossa sua historia e linda se Jesus colocou esse desafio em sua vida,pois vc mais seu esposo são capazes de cuidar desse anjo que Jesus ti deu,estou totalmente emocionada com sua historia maravilhosa eu pedir o meu bebe e foi uma dor que jamais esquecerei, mais fico feliz em ver historia como a sua,Jesus ti proteja sempre pois vc e uma mulher guerreira...

    ResponderExcluir
  20. É a 2° vez que venho no blog da Linda Vitória, mas é a 1° vez que lí um post completo.
    Chorando muito eu parei pra agradecer ao Senhor por ter me feito voltar aki.
    Sua filha é linda, é a Menina dos Olhos de Deus, e vc é uma guerreira do Senhor. Deus é PERFEITO!
    Vc's merecem as vitórias que recebem a cada dia. E que sejam muitas ainda que hão de vir.
    Deus abençoe a saúde da Vitoria, Deus abençoe sua família e eu como mãe me coloquei no seu lugar e agradeço a Deus por nos dar a oportunidade de conhecer um amor incondicional.
    Fiquem com Deus, eu volto mais vezes pra visitar a linda Vitória.
    Bjos

    ResponderExcluir
  21. Olá. Eu não conheço vocês, mas a história da Vitória me emocionou muito. Que testemunho maravilhoso! Chorei muito ao ler esse texto e pude perceber que vocês têm uma fé incondicional. Que Deus continue abençoando essa família e dando saúde a essa menina tão bela e de olhos tão bonitos!
    Lorena (de Brasília)

    ResponderExcluir
  22. Que linda essa história...
    Esse testemunho de vida...
    Uma lição pra muita gente... Uma historia emocionante e especial q nos ensina q em tudo devemos dar graças, e sempre ver o lado bom das coisas e ter sensibilidade pra perceber as coisas boas q Deus faz em nossas vidas a cada dia, a cada amanhecer e anoitecer e mtas vezes passam despercebidas... E que se hje passamos por alguma dificuldade devemos agradecer, mesmo sem saber pq, mas mais na frente entenderemos, entenderemos TODOS os planos de Deus pra nossas vidas. Ele sempree nos abençoa, nos ensina cada dia mais do seu amor... É Só abrir os olhos e enxergar tudo que acontece em nossas vida, em nossa volta... É Tudo tão simples.. Mas é real. Deus é real e Fiel!"
    E Que se esse anjinho veio a esse mundo foi porque Deus permitiu, para que pudéssemos ser seres humanos melhores e mais dignos... Ninguém está imune a passar por lutas e tribulações, mas com certeza passar por tempestades ao lado de Deus é muito melhor, mais aconchegante e um lugar muito mais confortavél..... tendo a certeza que ele sempre estará ao nosso lado para nos confortar em qualquer situação que possamos nos encontrar.
    Parabéns, Parabéns e Parabéns!!!! que Deus ilumine cada dia mais essa familia linda ...
    e Muito obrigada por nos proporcionar conhecer essa historia tão liiinda e emocionante que edificou cada um de nós...

    Que Derrame infinitas bençãos sobre essa família liindaa!!'

    ResponderExcluir
  23. Que presente me encontrar com esse lindo testemunho neste finalzinho do domingo de Páscoa... que Deus os abençoe, e os fortaleça a cada dia .... lendo sobre cada segundo dos primeiros momentos da Vitória me emocionei muito .... Deus não a curou, mas realizou um milagre ainda maior que sua cura, a de viver e superar cada tic tac até hoje, mesmo com sua limitação física.
    Bjs a vcs e minha orações.

    ResponderExcluir
  24. olá Joana, li seu testemunho hoje, e muito emocionada senti uma imensa vontade de te escrever, também tive duas grandes bençãos de Deus em minha vida, minha filha de 13 anos Camilla uma mocinha linda e Carla Louze de 7 anos, que nasceu faltando uma semana para completar sete meses, e em todos os minutos passados dentro do UTI tive grandes revelações divinas.
    Quando descobrir minha gravides estava na emergência do hospital para operar de uma apendicite supurada, minha cirurgia foi de abdome aberto, e logo depois um obstetra me visitou e me disse que seria difícil eu seguir com a gravides mas enfatizei a vontade do PAI, minha gravidez foi de risco, minha cirurgia durante a gestação não cicatrizou, foi abrindo de acordo que a barrica crescia, e tive perda de liquido amniótico, mas sempre confiei no meu Deus, e sempre tive suas respostas, hoje minha filha é linda, esperta, danada, seu apelido é perereca, só vive pulando, lendo seu blog, retornei a sete anos e nive meses atrás de todo aquele momento, do medo, angustia,alegria, VITORIA e paz. sucesso para sua família, e com certeza vocês e especialmente VITORIA estará em minhas orações, Amém.

    ResponderExcluir
  25. Deus sempre coloca sobre a Terra pessoas com força e capacidade para ensinar os demais! São os filhos de Deus ensinando outros filhos de Deus a evoluir!! É assim na medicina, é assim nas artes, é assim na ciência, é assim com a maternidade! Vc, seu esposo e a pequena Vitória são uma família a qual Deus confio para ensinar outras famílias, e estão ensinando, estão cumprindo suas missões na vida da Vitória e na vida de pais e mães que vcs sequer conhecem, com grandeza, com beleza! A vida da Vitória jamais foi em vão e vcs materializaram isso pro mundo! Amém pelo aprendizado, amém pela beleza da força que tiveram e por ajudarem tantos corações a se sustarem na crença pela vida, e auxiliando mtas familias a terem a paz e a serenidade daqueles que confiam nos desígnios de Deus! Não sou ninguém para agradecer, sei q a missão de vcs é mto maior do que posso compreender, mas mesmo assim... obrigada por aceitarem a VIDA da Vitória e a missão trazida com ela!!!

    ResponderExcluir
  26. Olá Joana, a história de vcs é muito linda e me deixou super emocionada... Deus realmente tem cuidado de vcs...
    Não entendendo como tem pais que com filhos saudáveis não consigam ver esse cuidado de Deus em suas vidas...
    Desejo do fundo do meu coração que o Senhor continue operando cada dia mais esse milagre na vida de vcs, e sua filha é uma princesa linda que o próprio Deus escolheu pra vcs amarem e cuidarem. Felicidades e a Paz do Senhor Jesus...

    ResponderExcluir
  27. essa vitoria e d todos nó que acreditamos na vida, que vcs sejam sempre abençoados, com essa filha maravilhosa, linda, linda história, ela merecia um livro, uma história real, de fé, amor em DEus nosso Senhor jesus Cristo, vcs são muito especiais um forte abraço, Heloisa Alencar....

    ResponderExcluir
  28. essa vitoria e d todos nó que acreditamos na vida, que vcs sejam sempre abençoados, com essa filha maravilhosa, linda, linda história, ela merecia um livro, uma história real, de fé, amor em DEus nosso Senhor jesus Cristo, vcs são muito especiais um forte abraço, Heloisa Alencar....

    ResponderExcluir
  29. Oi Joana atráves de um link no facebook antes de compartilhar qualquer informação resolvi pesquisar.. Graças a Deus não compartilhei pois agora sei que aquelas informações são erradas!!
    Bem palavras vc ja tem de mais.. só quero deixar meu muito Obrigado por dividir esta lição de vida!! e me fazer aprender a ouvir o tic tac..MUITAS MAIS BENÇÃO DE DEUS NA VIDA DA PEQUENA VITORIA

    Um grande Abraço

    ResponderExcluir
  30. que lindo texto, estou extremamente emocionado com essa danadinha dessa vitoria tao linda e que tanto quer viver.

    ResponderExcluir
  31. Estou sem palavras... Que Jesus continue iluminando a vida de vocês.
    Abraços...

    ResponderExcluir
  32. Estou sem palavras... Que Jesus continue iluminando a vida de vocês.
    Abraços...

    ResponderExcluir
  33. Joana
    Os conheci hoje, e prometo que os acompanharei sempre. Não consigo conter as lágrimas, principalmente porque sou mãe e também compartilho da mesma fé que vocês. A Vitória é um milagre de Deus. Um lindo milagre. E servirá para que a Glória dEle seja manifesta. Creio nisso.
    Deus abençoe grandemente sua vida Joana, e saiba que suas palavras me inspiram.
    Os amo em Jesus.

    Bjus
    Gisela Lima

    ResponderExcluir
  34. Nossa... vocês são pais maravilhosos, ou melhor, pessoas maravilhosas... Estou muito emocionada com a história de vocês! Nem sei direito o que falar, só que Deus proteja e ilumine cada vez mais o caminho de vocês!!!

    ResponderExcluir
  35. VCS SÃO UM CASAL EM DEUS MSM,AMEI A VITÓRIA ASSIM Q A VI, PARABENS TAH, CONTE COM MINHAS ORAÇÕES, MINHA PROXIMA FILHA SE CHAMARA VITORIA, COM CERTEZA.

    ResponderExcluir
  36. Conheci o blog de vcs hoje! E meu Deus, agradeço por poder ter conhecido! Vocês são uma família abençoada e podem ter certeza de que a missão da Vitória está sendo cumprida! Ela traz ensinamentos não só a família, mas a todos que podem ler este lindo espaço!! Podem ter certeza que a Vitória é um presente pra humanidade !! Que Deus continue os abençoando sempre, sempre e mais uma vez, obrigada !!

    ResponderExcluir
  37. Conheci o blog de vcs hoje! E meu Deus, agradeço por poder ter conhecido! Vocês são uma família abençoada e podem ter certeza de que a missão da Vitória está sendo cumprida! Ela traz ensinamentos não só a família, mas a todos que podem ler este lindo espaço!! Podem ter certeza que a Vitória é um presente pra humanidade !! Que Deus continue os abençoando sempre, sempre e mais uma vez, obrigada !!

    ResponderExcluir
  38. A todo momento que estive aqui no seu blog, lagrimas de felicidades escorrerão pelo meu rosto, como Deus e maravilhoso em suas coisas, como a Vitória e gerreira e abençoada. De todos as presentes de nosso bom Deus, vcs forom mais abençoados. T

    ResponderExcluir
  39. Pais maravilhosos,filhos maravilhosos!!Sempre fui contra o aborto,seja qual for o motivo,fiquei gravida com 14 anos e fiz 15 anos em julho e meu filho nasceu em setembro,me disseram para abortar,mas jamais faria isto!!Vcs são uma familia de Deus mesmo!! Parabéns a vcs,chorei,ri,me emocionei com tudo que li até agora,e sempre estarei aqui lendo tudo da pequena Vitória,escreva sempre quero estar sempre em contato com vcs,que a partir de agora tenho vcs dentro do meu coração,e rezarei todas as noites por vcs,não tenho palavras para expressar meu sentimento por vcs,apenas que continue sendo vcs mesmo,com amor,fé,dedicação e que o Papai do Céu continue sempre abençoando esta linda familia!!! meu e mail é claudia.brant@hotmail.com , mil beijos para esta gordinha mais linda que já vi na minha vida!!!!

    ResponderExcluir
  40. NÃO TEM COMO NÃO FICAR EMOCIONADA COM ESSA LINDA HISTÓRIA DE AMOR E FÉ. DEUS É MARAVILHOSO E CRIANÇAS ESPECIAIS SÓ SÃO ENVIADAS A PESSOAS TAMBÉM ESPECIAIS.VOCÊS SÃO EXEMPLO PARA MUITOS PAIS.

    ResponderExcluir
  41. Fiquei muito emocionada com essa história e com o blog todo.
    Coloquei o link no meu blog para que outras pessoa vejam esse exemplo de vida.

    Força!!

    http://sublimeperfumes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  42. linda a historia de vcs
    fiquei apaixonada pela historia de vcs,me emocionou muito.Que vcs sejam muito felizes

    ResponderExcluir
  43. Olá Joana...
    Estive olhando seu blog e me emocinei muito com sua decisão, não sei se teria tido a mesma coragem que vc teve para continuar a gestação... Mas vejo que vc foi a luta e venceu, e hoje sua filha esta ai firme, forte e muito amada. Parabéns a vcs..
    Vcs merecem.

    ResponderExcluir
  44. Cantem hinos a DEUS, o SENHOR, todos os moradores da terra! Adorem o SENHOR com alegria e venha cantado até a sua presença. Lembrem que o SENHOR é DEUS. Ele nos fez, e nós somos dele; somos o seu povo, e seu rebanho. Entrem nos seus pátios com louvor. Louvem a DEUS e sejam agradecidos a ele. Pois o SENHOR e bom; e seu amor dura para sempre, e a sua fidelidade não tem fim. salmo
    100
    O que eu tenho a dizer a vc minha linda é que DEUS te deu este presente sabendo que vc vai cuidar muito bem, DEUS abençõe grandemente a sua vida e vida da maravilhosa Vitória.

    ResponderExcluir
  45. Olá Joana, mto linda a sua historia, e quero te dar os parabéns, por ñ ter interrompido sua gravides, realmente a Vitoria ñ é somente linda como uma guerreira, e uma gde promessa de Deus, fiquei mto emocionada e chorona ao ler sobre o nascimento desse tesouro e ate me indentifiquei com vc, pois tenho uma filha de 8 anos ke so tem 1 rim, descobrimos isso com 5 meses de gravides, mais graças a Deus ela é mto saudavel, e hj eu tenho uma outra princesinha de 01 ano, ja a gravides dela foi mto complicada, tive pressão baixa e nasceu de 6 meses e meio, devido a uma taquicardia fetal que minha bb sofria dentro da minha barriga, teve que ser feito uma cesariana de urgencia, ou ela poderia morrer, tbm sofri mto por ñ poder te-la em meus braços, amamenta-la, pelo fato dela ter ido direto p/ a UTI, sofri mto por ela e senti mto medo de perde-la, ela graças a Deus ficou 8 dias na incubadora, mais eu sai no dia seguinte, meu coração ficou cheio de tristeza e medo por deixa-la ali no hospital e nem msm as roupinhas que levamos ela pode usar, somente no dia de sua alta ela pode usar a saida de hospital, e a alegria foi enorme e o dia mais feliz da minha vida, qdo eu a trouxe pra casa, estava td bem, ate que no 15 dia de vida dela ela jorrou do nd e derepente um jato de gorfo, agua, na hr so consegui ter a reação de ligar pra emergencia e do outro lado da linha o rapaz falava os procedimentos pra mim, mais o panico, o meu estado de choque era tõ gde que eu ñ conseguia entender nd, minha sorte era que meu marido e minha sogra estavam em cs e fizeram os procedimentos, pq eu soh sabia gritar, chorar e pedi pra Deus salvar a minha filha pela segunda vez, e corremos para o hospital, onde fizeram o atendimento, limpando o nariz e a garganta dela, retirando o liquido que havia sufocado ela, nossa ela foi mto forte, pois ao se sufocar ela lutava mto pra poder respirar, ficando roxa, palida ao msm tempo,
    nossa forma os piores minutos de minha vida, no hospital as enfermeiras me dizeram que ela estava soltando ainda a sujeira do parto, coisa que normalmente a criança libera no proprio hospital depois de 1 a 2 dias, e que ela ficaria a noite inteira em observação em jejum durante o final de uma tarde ate o dia seguinte, nossa meu coração de mãe sangrava em ver minha filha sofrer e lutar pela sua vida pela segunda vez, mais graças a Deus ela esta aqui nos fazendo cd dia mais felizes e nos enchendo de alegria.
    Obrigada por ser essa mãe tão especial, tão guereira, e por nos ensinar a sempre continuar!!!!
    Bjos e que Deus estejam sempre com vcs!

    Ruth Dias
    ruthcontil@hotmail.com

    ResponderExcluir
  46. muito linda a historia da sua bebê , sempre me emociono quando leio alguma coisa postada por vocês . parabens ela esta cada dia mais linda ! que Deus te abençoe e que abençoe a sua familia . beijos

    ResponderExcluir
  47. assistir vocês no super pop e gostei muito da historia de vocês começei a pesquisar e achei muito lindo das suas partes da uma vida a uma menina tão lida como a vitoria são pessoas como vocês que podem mudar o mundo parabéns pela linda filha de vocês tenho 14 anos e gosto muito de assuntos interessantes como a historia de vocês qui me ajudaram muito saber qui todos são tão normais e podemos amar as pessoas do geito que são qundo eu tiver meu bebe seja do geito que ele for vou amar pois prendir isso com vocês seja com celebro ou não afinal e uma vida e uma pessoa como outras qui podem ter futuros cuide bem desse anjo que vocês tem em casa pois ela e perfeita e sinceramente achei ela muito linda e gostei muito dela ..
    obrigada por mostra que podemos amar o proximo seja o jeito que ele for pois todos são iguais. stephany gabriela maciel reis

    ResponderExcluir
  48. Joana e Marcelo!!!Q liçao de vida a d vcs 3!!!
    Tenho 3 filhas, e nao tem um post seu q eu não fique emocionada!!
    Q Deus abençoe mais e mais a vida da Vitoria de Cristo.
    Obrigada por ter feito esse blog,e me mostrar q aquilo q eu achava q era impossivel,qnd se tem Fe em Deus tudo se fortalece!!
    Fiquem com Deus.
    Obrigada
    Thayna

    thata-ppg@hotmail.com

    ResponderExcluir
  49. Esqueci de dizer q suas palavras sao sensacionais!!!Um alimento pra inha alma!!!
    Thayna

    ResponderExcluir
  50. Que Deus continue a iluminar essa família de Deus

    ResponderExcluir
  51. Lindo relato, Joana... Todos vocês venceram! bjs, Karen

    ResponderExcluir
  52. oi Joana
    Não nos conhecemos, estava passeando pela internet quando visualizei o blog da Vitoria e resolvi ler toda historia que vc postou... Eu nao tenho filhos e esse é meu maior sonho, e a decisão de vcs sobre prosseguir com a gravidez foi uma atitude muito corajosa de vcs, e muitooo admiravel tambem, temos um objetivo,uma missão ditada por Deus em cada vida, e a de vcs é mostrar as outras pessoas que existe amor em meio as dificuldades, e que amor incondicional é exatamente isso, nao olhamos defeitos, deficiencias, mas o sorriso, o lado bom que cada pessoa tem.... Já admiro vcs e tenha certeza que farao parte das minhas orações apartir de hj. Abraços Cristina (crisnutricionista@gmail.com)

    ResponderExcluir
  53. Joana,
    Li vários dos seus textos postados aqui.
    Louvo a Deus pelo testemunho que você e seu esposo puderam dar, com certeza muitas pessoas se achegarão a Cristo através destas palavras! Que Deus continue abençoando-os e dando-lhes forças para prosseguir!
    Deborah - MG

    ResponderExcluir
  54. Chorei, sorri, glorifiquei e engrandeci à Deus...
    Joana seu blog é simplesmente lindo!
    Sua filha Vitória foi um exemplo de força, de superação...
    Conheci seu blog semana passada ao pesquisar sobre acrania. Uma querida amiga deu à luz a uma linda menina no dia 22 de janeiro 2013, ela tem graves problemas... Tem hidrocefalia, sindrome de meckel gruber, e acrania. Está desenganada pelos médicos e cada segundo de sua vida é considerado um milagre.
    Estamos orando à Deus e pedindo que Ele faça o que for melhor para a pequena guerreira Valentina.
    Quero agradecer por essa história linda e por tê-la compartilhado.
    Fiquem com Deus, um grande abraço
    Marcia Barros - Ouro Fino - MG

    ResponderExcluir
  55. sua historia é muito bonita JOANA
    passei e estou passando por uma situação não muito diferente que a sua..:(

    ResponderExcluir
  56. fiquei muito emocionada pela a histora de vitoria quando deus quer ele faz asim por isso nunca deixe de cre pois jesus vai fazer mais milagre na sua vida vitoria e uma vitoriosa e o papai um grade vencerdo sempre dando força a vc mae vc e uma grande guerrera parabéns pelas grandes conquistas e vitoria jeseus te ama vitoria joana e o papai meu nome e crys moro em barra de guabiraba pe xauu fica com deus?

    ResponderExcluir

Muito obrigada pela visita ao nosso blog. Comentários são bem-vindos e muito especiais! Por favor confira algumas orientações antes de deixar sua mensagem:

1) Este blog é um registro pessoal de nossa vida com nossa filha Vitória, que viveu conosco por 2 anos e meio após a gestação. Ela faleceu em julho de 2012.
2) Comente de maneira séria e respeitosa. Mensagens ofensivas ou desagradáveis irão p/ a lixeira.
4) Infelizmente nem sempre consigo responder todas as mensagens que recebo, mas leio a todas com muito carinho.
5) Se você está vivenciando ou vivenciou uma gestação de um bebê com acrania e anencefalia, temos um grupo muito especial de apoio no Facebook onde você será bem-vindo: www.facebook.com/groups/acraniaeanencefalia (copie e cole este endereço em sua barra de endereços da internet)
6) Se preferir, contate-me pelo e-mail joanaschmitz@yahoo.com.br

Muitíssimo obrigada por sua compreensão e respeito.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...